Billabong Pro Tahiti
Medina é vice em Teahupoo
Por Redação Waves em 14/08/17
 

O brasileiro Gabriel Medina ficou na segunda colocação no Billabong Pro Tahiti, sétima etapa do CT encerrada neste domingo em Teahupoo.

Na decisão, Medina perdeu para o australiano Julian Wilson pelo apertado placar de 18.96 a 17.87.

A final foi eletrizante e já começou com Julian provocando o brasileiro na disputa pela primeira onda.

 
Julian Wilson e Gabriel Medina, Billabong Pro Tahiti 2017, Teahupoo. Foto: © WSL / Poullenot.
 

Mas Gabriel não caiu na pilha e manteve o mesmo foco apresentado durante todo o dia decisivo do Billabong Pro.

Ele mesclou os tubos com rasgadas e batidas no crítico para arrancar 9.20 e 8.67 em suas melhores ondas. Mas Julian reagiu no final, cravou 9.73 e 9.23 e conquistou o título do evento.

"Estou muito feliz em ter feito outra final contra o Julian. Ele surfou muito bem durante o evento e imagino que seja um pouco mais complicado para ele backside. Me sinto bem em ter voltado ao jogo e agora vou focar em Trestles. Hoje é dia dos pais no Brasil, e meu pai está aqui, então acho que foi um bom presente", afirma Medina.

O Billabong Pro Tahiti foi disputado em tempo recorde. Foram necessários apenas três dias de evento, realizados nos três primeiros dias da janela de espera.

A WSL (World Surf League) optou pela maratona devido às péssimas condições previstas para o Taiti na próxima semana: ondas fracas e muito vento.

O dia decisivo alternou sol e chuva, com séries inconsistentes de 2 metros. Ao mesmo tempo em que tiveram que arriscar manobras na rasa bancada, os surfistas foram presenteados com momentos de tubos perfeitos.

O caminho de Medina até o segundo lugar foi suado. O brasileiro chegou a cometer uma interferência em Matt Wilkinson no quarto round e precisou passar pelo australiano Connor O'Leary na repescagem.

De volta à disputa, o brasileiro não parou mais. Nas quartas cravou o primeiro 10 da competição na vitória sobre o australiano Owen Wright (vídeo abaixo).

Medina foi muito rápido para completar um tubo praticamente impossível. Os juízes deram nota 10 unânime e o brasileiro ainda arrancou 8.23 para deixar Owen em combinação de notas.

 
 

Na semifinal, travou um duelo acirrado contra o norte-americano Kolohe Andino.

Medina saiu na frente com 7.33, mas Kolohe respondeu rápido e surfou a melhor onda da bateria: 8.90, em um tubo de backside.

No entanto, o surfista de Maresias mostrou que conhece a onda de Teahupoo como poucos e encontrou um tubo espremido para cravar 7.83 e pular na frente.

No final, com a prioridade, marcou Kolohe de perto. Os dois chegaram a se tocar no outside e Medina ficou ameaçado de ser punido por interferência de remada. Mas os juízes confirmaram a vitória do brasileiro.

O brasileiro Wiggolly Dantas também participou do dia decisivo do Billabong Pro Tahiti e obteve o quinto lugar, seu melhor resultado no CT desta temporada. 

Depois de perder a bateria de três no round 4, Guigui foi o carrasco do até então líder do CT, Matt Wilkinson, na quinta fase.

Com muita técnica de frontside, Wiggolly dropou as maiores ondas da bateria e anotou 8.17 e 7.33 contra 6.17 e 5.83 do australiano.

Nas quartas, contra Kolohe Andino, o ubatubense adotou a estratégia de esperar pelas melhores ondas, mas tática não funcionou e ele acabou derrotado pelo placar de 14.33 a 7.67.

O novo líder do Tour é o sul-africano Jordy Smith. Eliminado por Julian Wilson na semifinal, ele foi beneficiado pela derrota de Matt Wilkinson no quinto round e alcançou o topo ao derrotar o havaiano John John Florence nas quartas.

 

A próxima etapa do CT acontece entre os dias 6 e 17 de setembro em Trestles, Califórnia (EUA). 

Billabong Pro Tahiti 2017

Resultado

1 Julian Wilson (AUS)

2 Gabriel Medina (BRA)

3 Jordy Smith (AFR)

3 Kolohe Andino (EUA)

5 John John Florence (HAW)

5 Wiggolly Dantas (BRA)

5 Owen Wright (AUS)

5 Joan Duru (FRA)

13 Adriano de Souza (BRA)

13 Ian Gouveia (BRA)

13 Italo Ferreira (BRA)

25 Filipe Toledo (BRA)

25 Jadson André (BRA)

25 Miguel Pupo (BRA)

25 Caio Ibelli (BRA)

 

Ranking do CT depois de sete etapas

1 Jordy Smith (AFR) – 37.850 pontos
2 John John Florence (HAV) – 36.900
3 Matt Wilkinson (AUS) – 35.950
4 Owen Wright (AUS) – 35.350
5 Julian Wilson (AUS) – 33.200
6 Adriano de Souza (BRA) – 29.650
7 Gabriel Medina (BRA) – 29.000
8 Joel Parkinson (AUS) – 26.150
9  Filipe Toledo (BRA) – 24.450
10 Connor O´Leary (AUS) – 24.200
11 Kolohe Andino (EUA) – 23.000
12 Mick Fanning (AUS) – 21.350
13 Michel Bourez (TAH) – 20.200
14 Frederico Morais (PRT) – 19.450
15 Sebastian Zietz (HAV) – 17.750
16 Joan Duru (FRA) – 17.650
17 Conner Coffin (EUA) – 17.500
18 Adrian Buchan (AUS) – 17.000
19 Wiggolly Dantas (BRA) – 16.450
20 Caio Ibelli (BRA) – 15.500
21 Jeremy Flores (FRA) – 14.500
22 Bede Durbidge (AUS) – 14.450
23 Italo Ferreira (BRA) – 14.200 pontos
25 Ian Gouveia (BRA) – 12.000
32 Miguel Pupo (BRA) – 7.250
32 Jadson André (BRA) – 7.250

 
 
Veja também:
 
 
 
 
 
 
 
+ Notícias
 
 
© DropAgora.com.br - Desde 2008.
Aracaju-Sergipe-Brasil
"Deus sem você continua sendo Deus, e você sem Deus é nada.."