Hawaiian Pro
Filipinho sai na frente
Por Redação Waves em 21/11/17
 

Os ubatubenses Filipe Toledo e Wiggolly Dantas fizeram bonito no Hawaiian Pro, QS 10.000 da World Surf League encerrado nesta segunda-feira, em Haleiwa, Havaí.

Em ondas de 1 metro e formação irregular, Filipe largou na frente na Tríplice Coroa Havaiana, enquanto Guigui ficou em terceiro lugar, atrás ainda do californiano Griffin Colapinto.

Griffin saiu na frente com 8.17, mas Filipe passou a comandar as ações e disparou na liderança com 7.67 e 8.87.

 
Filipe Toledo vence o Hawaiian Pro em Haleiwa, Havaí. Foto: © WSL / Heff.
 
Melhores momentos das finais.
 

Em sua melhor onda, o Top da elite mundial levou a plateia ao delírio depois de acertar um aéreo rodando nas difíceis condições do mar.

Griffin, que pouco antes havia arrancado 7.77, encostou no placar, passando a buscar 8.38 e deixando para trás Guigui e o taitiano Michel Bourez.

Com um backside bastante afiado, Wiggolly até melhorou sua pontuação nas duas últimas ondas, obtendo 7.03 e 6.00, mas acabou mesmo em terceiro, à frente do taitiano Michel Bourez.

Este ano, Guigui só havia disputado duas etapas do QS (Pipeline e Maresias), o que complicou bastante a chance de o ubatubense tentar permanecer na elite mundial através do ranking da divisão de acesso. Agora, ele ocupa a 48a posição com 7.655 pontos e vai precisar vencer a etapa em Sunset, além de torcer pelo tropeço dos concorrentes.

No ranking do Championship Tour, Wiggolly ocupa o 24o lugar e precisar ficar no mínimo em nono lugar na última etapa do ano, em Pipeline, para tentar manter sua vaga.

Ao término da batalha final, Filipe comemorou a sua primeira vitória na Tríplice Coroa Havaiana. “É maravilhoso, realmente incrível, porque senti o gosto da vitória em 2015, quando fui vice-campeão, mas agora consegui o título aqui, o primeiro brasileiro, é incrível isso”, disse Filipe Toledo. “Eu já me qualifiquei para o World Tour do ano que vem, então eu estava super relaxado. Eu só fiz o meu jogo com minhas estratégias e fiz o que precisava fazer, então agradeço a Deus pelas ondas nas baterias e por esses aéreos (risos). Foi muito divertido”.

Filipinho também falou sobre o aéreo que lhe garantiu o título em Haleiwa. “Era uma onda média e o Wiggolly (Dantas) olhou para ela, a prioridade (de escolha da onda) era dele, mas não gostou porque parecia que ia fechar e deixou passar”, contou Filipe Toledo. “Eu entrei nela e quando bati no ‘lip’ (para voar no aéreo), senti que a prancha tinha quebrado, ouvi um barulho muito louco e pensei, “não”. Ainda assim, fiz toda a rotação e pousei na espuma. Eu fiquei assustado, achando que a prancha tinha partido ao meio, mas graças a Deus ela estava bastante sólida ainda e eu pude aterrisar naquele aéreo”.

Tomas no Tour

Com uma ótima campanha na prova, chegando às semifinais, o catarinense Tomas Hermes foi anunciado como novo integrante da elite mundial.

A vaga foi confirmada nesta segunda-feira, depois de Tomas passar pelo round 4 atrás do italiano Leo Fioravanti, autor de 7.17 e 8.50.

Com 6.50 e 7.83 nas duas melhores ondas, o brasileiro escapou do ataque do australiano Josh Kerr, que obteve 7.77 e 5.33, deixando também para trás o australiano Wade Carmichael.

“Não é um sonho, pois acho que vivo esse sonho todos os dias”, disse Tomas Hermes. “Não é um sonho me qualificar para o CT, é o resultado de um trabalho duro ao longo dos anos. Eu quero agradecer a muitas pessoas, minha família, a Vans que me patrocina. Eu acredito em mim, no meu criador, na minha esposa, que está sempre comigo. Ela não se importa com nada, acorda cedo comigo, é minha esposa, melhor amiga, treinadora. É especialmente por causa dela, que estou aqui hoje”.

O paulista Jessé Mendes e o catarinense Yago Dora já tinham garantido suas vagas antes da Tríplice Coroa Havaiana, que fecha a temporada na ilha de Oahu, Havaí. Quem também carimbou o passaporte foi Willian Cardoso, no último domingo.
 
O potiguar Italo Ferreira entrou na zona de classificação com a passagem para as oitavas de final no domingo, e avançou mais uma bateria nesta segunda-feira, perdendo nas quartas.

No momento, o potiguar ocupa a 10a posição no ranking que classifica 10 atletas para a elite mundial.

Quem também segue firme na luta pela classificação é o cearense Michael Rodrigues, 11o no ranking do QS. Como o californiano Kanoa Igarashi (3o) está se garantindo pelo ranking do Championship Tour, Michael ocupa a décima e última vaga na lista provisória de classificados à elite.

Resultado do Hawaiian Pro 2017

1 Filipe Toledo (BRA)
2 Griffin Colapinto (EUA)
3 Wiggolly Dantas (BRA)
4 Michel Bourez (PLF)
5 Kolohe Andino (EUA)
5 Tomas Hermes (BRA)
7 Adriano de Souza (BRA)
7 Jordy Smith (AFR)
9 Miguel Pupo (BRA)
9 Kiron Jabour (HAV)
9 Maxime Huscenot (FRA)
9 Joshua Moniz (HAV)
13 Connor O´Leary (AUS)
13 John John Florence (HAV)
13 Italo Ferreira (BRA)
13 Leonardo Fioravanti (ITA)

 

Ranking do QS 2017 (atualizado nesta terça-feira pela WSL)

1 Jessé Mendes (BRA) 25.400
2 Griffin Colapinto (EUA) 23.250
3 Kanoa Igarashi (EUA) 21.990
4 Tomas Hermes (BRA) 20.880
5 Yago Dora (BRA) 20.450
6 Willian Cardoso (BRA) 19.000
7 Keanu Asing (HAV) 16.950
8 Wade Carmichael (AUS) 16.800
9 Ezekiel Lau (HAV) 16.650
10 Italo Ferreira (BRA) 16.560
11 Michael Rodrigues (BRA) 16.550
12 Filipe Toledo (BRA) 16.500
13 Jordy Smith (AFR) 15.100
14 Michael February (AFR) 14.750
15 Frederico Morais (POR) 14.030
16 Jorgann Couzinet (FRA) 13.685
17 Patrick Gudauskas (EUA) 12.850
18 Jadson André (BRA) 12.305
19 Nat Young (EUA) 12.300
20 Alejo Muniz (BRA) 11.850

Próximos brasileiros (até 50o)

23 Miguel Pupo (BRA) 11.590
26 Alex Ribeiro (BRA) 11.350
28 Deivid Silva (BRA) 10.960
30 Flavio Nakagima (BRA) 10.600
33 Adriano de Souza (BRA) 10.220
38 Bino Lopes (BRA) 8.720
42 Peterson Crisanto (BRA) 8.200
48 Wiggolly Dantas (BRA) 7.855

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Publicidade:
 
 
 
 
 
 
 
Veja também:
 
 
 
 
 
 
 
+ Notícias
 
 
© DropAgora.com.br - Desde 2008.
Aracaju-Sergipe-Brasil
"Deus sem você continua sendo Deus, e você sem Deus é nada.."