:
 
 
 
Mercado
Como escolher a prancha de Surf ideal?
Por Redação DropAgora em 29/09/17
 

São tantas possibilidades de prancha, que o simples fato de pensar em qual escolher, mesmo tendo guardado o dinheiro necessário, se torna uma tortura. Qual comprimento e largura? Mais borda ou menos borda? Coloco um deck? E a rabeta, qual o formato? Bico mais fino ou mais achatado? Quantas e quais quilhas? E o leash?

A prancha de surf ideal vai depender de diversos fatores: o mar que você costuma surfar, seu estágio de aprendizado, seu tamanho e seu peso são os principais.

 
Tipos de Pranchas. Foto: Divulgação.
 

Qual o segredo para encontrar a prancha de surf ideal, então? O grande segredo é testar o máximo de opções possíveis antes de começar a montar o seu quiver.

Resumindo o primeiro parágrafo desse texto, não existe uma prancha de surf ideal, mas sim um conjunto de opções de prancha (quiver) que, a partir do seu tamanho, preparo físico, nível de aprendizado e possibilidades de mar que você pode encontrar, te deixarão pronto para o máximo de situações possíveis. Como ninguém aqui é milionário (ou se você é, parabéns!) precisamos buscar a primeira prancha de surf ou a melhor diante do máximo de situações possíveis.

O primeiro passo para montar o seu quiver é escolher a sua prancha do dia-a-dia, ou seja, aquela que vai ser a melhor opção para o seu tamanho e nível de aprendizado na maioria das praias perto de você, mesmo com a variação de tamanho das ondas. Se você é um completo iniciante, recomendamos que faça algumas aulas antes de comprar a primeira prancha. Além de receber dicas valiosas do professor, você usará as pranchas dele. Após evoluir, você vai ter uma noção melhor do tamanho de prancha de surf ideal para você.

Depois de definir a sua prancha do dia-a-dia, à medida que você vai se apaixonando pelo esporte e que a grana vá sobrando, você pode ir adicionando opções para tornar o seu quiver cada vez mais coringa. E se o mar estiver muito grande? E se a onda estiver mais cheia? Mais tubular? E se diminuir? E por aí vai…


Medidas da Prancha de Surf Ideal

O desenho da prancha é conhecido como outline e suas medidas básicas são o comprimento, que é a distância entre o bico e a rabeta, a largura, que é a distância entre uma lateral e a outra, e a espessura, ou a borda, que é o volume da prancha, quão grossa ou fina ela será. Em termos gerais, uma redução em qualquer uma dessas medidas torna o surf mais difícil, com menor estabilidade, maior necessidade de esforço para a remada e menor espaço para erros pequenos.

Por esse motivo, é muito comum um iniciante começar por um pranchão (longboard) ou uma funboard – pranchas de surf maiores em todas as medidas que as pranchas comuns – e ir diminuindo o equipamento conforme vai ganhando confiança e habilidade até chegar a uma prancha de surf mais recomendada para o seu tamanho e peso.

 
 
 

Comprimento de uma prancha de surf

Como falado acima, o comprimento de uma prancha é a distância entre o bico e a rabeta. Quanto maior o comprimento, mais estabilidade e velocidade a prancha terá devido à maior superfície de contato com a água. Quanto menor, mais manobrável e veloz nas curvas a prancha será. O tamanho da prancha também influenciará na remada. Quanto maior, mais fácil será entrar em uma onda. Por isso é comum ver picos onde as ondas são cheias, sem pressão, frequentados apenas por longboarders, já que eles conseguem entrar nessas ondas.

O comprimento é medido em pés e polegadas. Um pé é igual a 30,48cm e uma polegada 2,54cm. Dessa forma, uma prancha 5’10” terá 5 x 30,48 + 10 x 2,54 = 1,78m. Alguns tamanhos de prancha comuns convertidos seguem abaixo:

 

Um surfista com experiência geralmente irá procurar uma prancha com 2 a 3 polegadas a mais do que sua própria estatura. Se o surfista é iniciante, ele vai preferir pranchas bem maiores do que o seu próprio comprimento para conseguir maior estabilidade e cair menos, visto que ele ainda não executa muitas manobras. A mesma coisa acontece para surfistas mais pesados. Provavelmente buscarão pranchas um pouco maiores para garantir mais flutuação.

Pranchas maiores em comprimento também podem ser usadas por big riders, pois precisarão de um equipamento mais rápido e mais estável para descer aqueles prédios que eles descem. Tube riders (surfistas de tubos) também poderão preferir pranchas maiores para conseguir velocidade sem precisar se mexer muito dentro do tubo.

 
 

Largura de uma prancha de surf

A largura da prancha de surf é a distância de um lado para o outro da prancha e é medida em polegadas. Funciona quase igual ao comprimento em relação ao surf: mais largura significa maior estabilidade e menos manobras, e vice-versa. Um surfista iniciante irá preferir pranchas de surf mais largas para ter maior estabilidade. Como falado, a prancha de surf maior geralmente permite mais erros pequenos, portanto, se você subir com o pé da frente um pouco para o lado em uma prancha larga será mais fácil corrigir sem cair. Surfistas mais pesados também costumarão procurar pranchas mais largas em busca de flutuação.

A diferença da largura em relação ao comprimento está justamente no tipo de mar em que as pranchas se adaptarão melhor. Não é uma regra, mas geralmente surfistas de tubo irão utilizar pranchas bem finas, para conseguir que elas caibam dentro do tubo permitindo pequenas curvas para ajustes. Em ondas menores, geralmente se usa pranchas relativamente mais largas, pois é possível retirar mais dessas ondas com esse tipo de prancha de surf.

A largura de uma prancha geralmente varia de 1/8″ em 1/8″ (18″, 18 1/8″, 18 1/4″, 18 3/4″, 18 1/2″, etc), o que significa variações de 3 em 3 milímetros. Antes de fazer ou comprar uma prancha, você deve ter em mente que cada 3 milímetros influenciam muito na performance da prancha, portanto, cuidado. É muito comum encontrar pranchas com 18″ até 21″. Os long e funboards possuem tamanhos até maiores.

 
 
 

Espessura de uma prancha de surf

A espessura da prancha é uma das partes mais sensíveis da mesma. Variam de 1/16″ em 1/16″ (2 1/4″, 2 5/16″, 2 3/8″, 2 7/16″, 2 1/2″, etc), ou seja, 1,5mm, e sim, isso faz muita diferença para o seu surf. Quanto maior a espessura, maior será a flutuação da sua prancha de surf. Isso é ótimo para quem deseja estabilidade, mas não muito bom para quem quer manobrar. Outro defeito de uma prancha muito grossa é na hora do golfinho (duck-dive). Imagina como deve ser difícil furar aquela onda que chaga varrendo tudo com uma prancha com muita flutuação…

Poderia-se dizer que uma prancha de surf com espessura 2 1/4″ é o equipamento ideal para pessoas de 70kg, mas isso irá depender muito das outras medidas da prancha, portanto a relação peso do surfista e espessura não é uma equação exata. Surfistas iniciantes geralmente irão preferir pranchas com maior espessura buscando mais estabilidade, enquanto experientes irão preferir menores espessuras.

A espessura é o volume da prancha na linha central dela, no entanto, o volume pode ter diferentes distribuições ao longo da prancha. Uma prancha com certa espessura pode ter mais ou menos borda (rail), por exemplo, e isso é importante, pois rails mais arredondados se agarram menos a parede da onda, permitindo mais manobras, enquanto rails mais afunilados se agarram mais, sendo mais usados em ondas grandes, por maior aderência.

Outro exemplo de como a distribuição de volume pode variar é o foil, que é a diferença de espessuras no bico, no meio, na rabeta e, às vezes, em pontos intermediários entre eles. Estes dois últimos conceitos são muito avançados, portanto, não se preocupe com eles caso você não seja profissional.


Rocker (Curvatura ou Envergadura)

O rocker é a curvatura da prancha do bico para a cauda. Quanto mais rocker, mais a prancha fica manobrável, porém lenta, pois a curva oferece resistência. Quanto menos rocker, mais rápida a prancha fica, porém mais dura. Uma prancha de surf com mais rocker é recomendada para ondas mais fortes, na qual a velocidade será algo natural. Menos rocker é recomendado para ondas mais cheias e lentas pois o surfista precisará de velocidade, mas são ondas mais fáceis de manobrar, com arcos mais abertos.

 
 
 

Tail (Rabeta ou Cauda)

A rabeta da prancha é outra parte que pode variar bem e influenciar no seu surf. Existem alguns tipos mais conhecidos de rabeta:

Squash – é o padrão mais usual, pois combina bem controle e maleabilidade. Também costuma funcionar para vários tamanhos de onda.

Swallow –  é similar a squash pois prioriza o controle, mas permite uma quebra de linha mais rápida ao retornar a onda.

Square – é uma rabeta mais instável. É mais usada em ondas que quebram mais verticalmente, pois possibilita equilíbrio e mobilidade na parede da onda, mas falha em manobras com muita curva. É preciso muita experiência e equilíbrio para desfrutar dessa rabeta.

Round – é uma rabeta bastante clássica. Torna mais difícil a quebra de linha, mas apresenta bastante aderência a onda.

Pin – prioriza totalmente controle e aderência em prol da maleabilidade. Bastante usada em ondas grandes e fortes e em alguns tubos.

 
 
 

Quilhas e Outros Acessórios

Quilhas

O assunto quilhas é tão abrangente, que em breve teremos que fazer um post apenas sobre elas. O que você deve saber inicialmente é que a escolha de quilhas deve passar pelo peso do surfista – o fabricante indicará para qual peso aquela quilha é indicada -, pela escolha entre velocidade e maleabilidade e o surfista deve escolher o número de quilhas que ele deseja usar (1, 2, 3 ou 4):

Singles, as monoquilhas – ligadas ao surf clássico e geralmente usadas nos longboards. A remada é mais facilitada, porém o surfista perde em aderência e velocidade.

Twins, as biquilhas – também ligadas ao surf clássico, tornam a prancha mais veloz, porém menos aderente.

Three fins, as triquilhas – é a escolha de um grande número de surfistas, pois possuem muita velocidade, mas continuam soltas para as manobras.

Quad, as quadriquilhas – disputam com as three fins a preferência dos surfistas. Possuem bastante aderência (um pouco menos que as triquilhas, mas são as mais rápidas. Muito usadas em ondas grandes e tubulares.

 
 

Decks

O deck é a parte em que pisamos na parte de trás da prancha e possui dois tipos principais: dommie – com curvatura – e flat – reto. Muita gente prefere surfar sem deck, mas é interessante usá-los para marcar onde pisar e dar aderência ao pé de trás.

 
 

Strep ou Leash

O strep é a corda que liga a prancha ao pé do surfista e costuma ser a maior aliada em diversos momentos. Em alguns momentos, pode ser vilã também, afinal quem nunca teve a prancha puxada pelo leash de volta contra o corpo durante uma vaca? Mas em suma é ela que vai manter a prancha perto de você e garantir que você vai conseguir se recuperar de uma onda com rapidez para voltar para o outside, sem ficar a mercê da correnteza e outros perigos.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Publicidade:
 
 
 
 
 
 
 
Veja também:
 
 
 
 
 
 
 
+ Notícias
 
 
© DropAgora.com.br - Desde 2008.
Aracaju-Sergipe-Brasil
"Deus sem você continua sendo Deus, e você sem Deus é nada.."