WSL
Filipe Toledo é campeão em Saquarema
Brasileiro supera Wade Carmichael, da Austrália, na final, com somatório de 17.10, sendo uma onda quase perfeita que valeu 9.93.
Por Globo Esporte em 18/05/18
 

O brasileiro Filipe Toledo surfou demais nesta sexta-feira e, ao derrotar o australiano Wade Carmichael na decisão, se tornou o campeão da etapa de Saquarema, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, válida pelo Circuito Mundial de Surfe de 2018.

 
Filipe Toledo comemora com a torcida.
Daniel Smorigo / WSL
 
Publicidade

 Em uma apresentação sensacional, ele teve um somatório de 17.10, sendo uma onda quase perfeita que valeu 9.93 e outra em que ganhou a nota 7.17, e levou o público ao delírio. O rival, algoz de Gabriel Medina nas quartas de final, fez apenas 8.00 e saiu com o vice-campeonato, um grande resultado para o estrangeiro, que entrou na etapa como 16º colocado no ranking da World Surf League.

- Isso é o Brasil, essa é nossa energia, esse é o sentimento... É emocionante (pausa para choro)! É bom demais voltar para casa e receber esse carinho da torcida. Sabe, é a última bateria... Você precisa ganhar. É sua última chance. É o que coloco na minha mente na final. É o grande show, é meu palco, minha paixão, é o que penso. Eu vou lá e tento fazer o meu melhor. Está funcionando! Eu estava me sentindo meio estranho ontem. Tive um pequeno problema no estômago, mas estava pronto essa manhã - comentou Filipinho, muito emocionado.

Esse foi o sexto título no Circuito Mundial de Surfe em seis finais. Em quatro dessas finais, ele tirou nota 10, em Saquarema bateu na trave com esse 9.93. O título leva Filipinho para a vice-colocação do ranking mundial da WSL.

Filipe Toledo começou partindo para cima. Com 34 minutos faltando para o fim da bateria, tentou uma descida e levou uma vaca, saindo até atordoado e sendo ajudado pelo jet-ski. Sua prancha saiu quebrada, e ele precisou trocar. Depois da mudança, o brasileiro veio ainda mais empolgado. Conseguiu três ondas em sequência, com destaque para a última, um tubo que levantou a galera presente nas areias e valeu 9.93 ao surfista.

Assim, ele chegou a 13.60 de somatório, enquanto Wade Carmichael, na combinação, tinha 3.84. O brasileiro dominava a bateria, enquanto o australiano penava para encontrar uma boa onda para descer. Filipinho ainda substituiu a onda que valeu nota menor por um 7.17, chegando a 17.10 e, mais uma vez, levando os locais à loucura nas areias. O australiano ainda teve uma chance de superar o brasuca, fez um bom tubo com uma cortada para finalizar, mas não o suficiente para tomar a dianteira. Ele terminou com 8.00.

Antes de encarar Wade Carmichael na decisão, Filipe Toledo encontrou Kolohe Andino, dos Estados Unidos, nas quartas de final. Nessa ocasião, ele venceu com 13.84 contra 11.93 do rival. Depois, nas semifinais, desbancou ninguém menos que o número 1 do ranking mundial da WSL, Julian Wilson, com 16.37. O australiano fez somente 5.63.

O Brasil começou o dia com quatro representantes. Mas só Filipe Toledo conseguiu resultados positivos. Gabriel Medina caiu nas quartas para Wade Carmichael, enquanto Michael Rodrigues perdeu de Julian Wilson, e Yago Dora sofreu um revés diante de Ezekiel Lau.

Confira as baterias desta sexta-feira:

Quartas de final:
Bateria 1: Filipe Toledo (BRA) 13.84 x 11.93 Kolohe Andino (EUA) 
Bateria 2: Julian Wilson (AUS) 11.20 x 9.83 Michael Rodrigues (BRA) 
Bateria 3: Gabriel Medina (BRA) 3.63 x 11.40 Wade Carmichael (AUS)
Bateria 4: Yago Dora (BRA) 8.30 x 12.86 Ezekiel Lau (HAV)

Semifinais:
Bateria 1: Filipe Toledo (BRA) 16.37 x 5.63 Julian Wilson (AUS)
Bateria 2: Wade Carmichael (AUS) 13.17 x 9.27 Ezekiel Lau (HAV)

Final:
Filipe Toledo (BRA) 17.10 x 8.00 Wade Carmichael (AUS)

 
 
 
 
 
Publicidade
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Veja também:
 
 
 
 
 
 
 
Mais Notícias
 
 
 
Publicidade